domingo, 15 de novembro de 2015

Um cristão triste é um triste cristão

A frase do título, por mais antiga que seja, deve ter sido escrita/proferida a pensar em mim, ou, vá lá, em pessoas como eu, que, à mínima contrariedade, perdem o sorriso (chegou a estar lá?), ficam de trombas e refilam a torto e a direito. E isso é um sinal de contradição. Um cristão vive na alegria. A-le-gri-a! E quem me tem visto ultimamente, o que tem visto? Uma infeliz, amargurada, refilona, sempre a referir a(s) injustiça(s) de que é vítima. Já chega!

Então, a propósito disto, decidi parar de refilar*, pôr um sorriso (dura três segundos, mas se for reativado a cada quatro segundos, o resultado não é muito mau) e continuar a dar o meu melhor na situação em que estou.

O problema é que - e isto não é para sair daqui! - acho que o meu melhor não está a ser suficiente para o nível que eu gostaria. Ando meio à deriva profissionalmente - são muitas solicitações e eu sinto não conseguir responder a todas! Não é de agora, já venho a sentir isto há algum tempo, e essa foi uma das razões para ter concorrido para mudar de vida (continuando a ser professora).

*Não quer dizer desistir de mudar... mas ser mais silenciosa e pacífica nas tentativas!

Sem comentários:

Enviar um comentário

- Posso fazer o meu comentário?
- Claro que sim, mas tendo cuidado com a linguagem.
Obrigada!