O que são as Famílias de Caná

Não sou eu que vos explico, mas sim a Teresa Power:

http://umafamiliacatolica.blogs.sapo.pt/familias-de-cana-142506


As Bodas de Caná

“Ao terceiro dia, celebrava-se uma boda em Caná da Galileia e a Mãe de Jesus estava lá. Jesus e os seus discípulos também foram convidados.” (Jo 2, 1-2)


Quem seriam os noivos destas Bodas? Naturalmente que eram grandes amigos de Jesus e Maria, que com a sua presença, santificaram esta família nascente, antecipando toda a força e beleza do sacramento do matrimónio. Mas o autor do quarto Evangelho, das Cartas e do Apocalipse aponta para outras bodas: as Bodas do Cordeiro, anunciadas ao longo de toda a Bíblia, da primeira à última página. Nelas, Jesus é o Esposo, e cada um de nós e a Igreja inteira é a Esposa.
As Bodas de Caná são a celebração da família, que se abre ao amor infinito de Deus; mas são também a celebração do amor único e eterno entre Deus e cada um de nós.


Nossa Senhora Auxiliadora, Mãe de Caná

Nas Bodas de Caná, Maria antecipou a hora de Jesus; mas antecipou também a sua hora como Aquela que intercede por nós junto de Deus. A Mãe de Caná é assim, nos Evangelhos, a imagem mais perfeita da Senhora Auxiliadora dos cristãos.
As Famílias de Caná nasceram à sombra do Santuário de Nossa Senhora Auxiliadora, em Mogofores, e têm na Mãe de Caná a sua Rainha.



Famílias de Caná

Ser Família de Caná é um estilo de vida, uma forma particular de ser família na grande família da Igreja Católica.
A Família de Caná nasce das raízes hebraicas da fé cristã e cresce no jardim de Nossa Senhora. Como toda a árvore, conhece-se pelos frutos (cf. Mt 12, 33). O fruto distintivo da família cristã é o amor. Diziam os pagãos ao falarem dos primeiros cristãos, segundo Tertuliano: “Vede como eles se amam!” E assim deve continuar a ser hoje.
No Judaísmo, a fé vive-se e celebra-se primeiramente em família. “Eu e a minha família serviremos o Senhor” (Jos 24, 15) proclamou Josué ao chegar a Canaã. As Famílias de Caná querem ser Igrejas Domésticas, pequenos oásis de fé cristã verdadeiramente vivida e celebrada, onde educar seja desafiar para a santidade e crescer seja uma aventura rumo ao Céu.


As seis talhas de Caná

Os servos de Caná ofereceram a Jesus, com a fé que Maria neles despertou, seis talhas vazias. À Palavra de Jesus, encheram-nas com água. E foi então que o milagre aconteceu.
Cada Família de Caná oferece a Jesus seis pequenas “bilhas”, que procura esvaziar de tudo o que é mundano. À Palavra de Jesus enche-as de “água” até transbordarem, numa obediência pronta e generosa. Finalmente, experimenta a abundância do amor de Jesus, que por intercessão de Maria, não permitirá que o “vinho” da fé, da esperança e do amor acabe na sua casa.


As seis bilhas das Famílias de Caná

1 – Comunhão – Nós, Jesus

A Família de Caná procura viver a alegria das “Bodas do Cordeiro” no concreto das suas vidas, construindo a comunhão entre marido e mulher, pais e filhos, irmãos entre si, a família e a Igreja, cada um de nós e Jesus. Várias vezes por dia, para aprofundar este mistério de comunhão, a Família de Caná reza esta curta oração: “Nós, Jesus!”.


2 – Vida sacramental

A Família de Caná procura encontrar-se com Jesus através dos sacramentos: o matrimónio, fundador da família; o baptismo dos filhos; a eucaristia dominical e a adoração eucarística frequente; a confissão frequente; a unção dos doentes sempre que necessária.



3 – A Bíblia

Para fazer tudo o que Jesus disser, a Família de Caná escuta diariamente as Escrituras Sagradas, estudando e meditando a Palavra e contando aos mais novos histórias da Bíblia.



4– O canto de oração

A Família de Caná constrói em casa um lugar para a oração e aí se reúne uma vez por dia, em clima de alegria e simplicidade, para catequisar os filhos, para aprofundar a fé e para rezar. Todos os dias, a sua oração começa com a afirmação do primado de Deus, manifestado no amor ao próximo:



Shemá
“Escuta Israel
O Senhor nosso Deus é o único Senhor.
Amarás o Senhor com todo o teu coração
Com toda a tua alma e com todas as tuas forças
E amarás o próximo como a ti mesmo.
Faz isto e serás feliz.
Ámen!” (Lc 10, 27-28)


5 – Visitação

Como Maria em casa de Isabel, em Nazaré, em Caná e em Jerusalém, a Família de Caná “visita” o seu próximo, servindo-o com amor e levando-lhe Jesus. Pode fazê-lo individualmente, em família ou integrada nos mais diversos apostolados, de acordo com o que Jesus disser a cada um.


6 – Consagração e Rosário

A Família de Caná renova diariamente a sua consagração a Maria, e na sua companhia, medita nos Mistérios da Vida de Jesus, através da oração do Rosário. Com Maria, a Família de Caná quer aprender a fazer tudo o que Jesus disser.


Invocação
“Nossa Senhora Auxiliadora, Mãe de Caná,
ensina-nos a fazer tudo o que Jesus nos disser!”

Consagração
“Nossa Senhora Auxiliadora, Mãe de Caná,
Consagramos-te hoje e sempre a nossa família.
Confiamos na tua intercessão de mãe,
Para que o vinho da fé, da esperança e do amor
Nunca acabe em nossa casa.
Faz de nós servos do Senhor, como tu,
E ensina-nos a fazer tudo o que Jesus nos disser.
Ámen!”



Que é preciso fazer para ser Família de Caná?

É preciso querer celebrar as Bodas de Caná todos os dias da vida, convidando Jesus e Maria para a festa, e levando a Jesus, com a ajuda de Maria, as nossas seis bilhas de Caná. Se escutarem a voz de Jesus chamando a vossa família a esta festa, escrevam-me para o mail!

Sempre que possível, as Famílias de Caná participam num retiro Famílias de Caná e nos vários retiros e encontros que vão sendo propostos, bem como nos encontros Aldeias de Caná na sua área geográfica. Mas os encontros maiores e mais importantes acontecem bem mais perto de cada uma das Famílias de Caná: na sua casa, diariamente, e na sua paróquia, na missa dominical. Não faltem às Bodas!

3 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  2. Perdona que eliminase este comentario. Tú ¿no contestas nunca?
    ¿Me puedes contestar?
    Me gusta tu blog, pero con lo divertido que me parece no creo que tenga mucha vida.
    Te dejo hasta otro día. Seguiré visitándote.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Respondo para dizer que este blogue mudou de plataforma - como qualquer pessoa que perceba o que está escrito no post mais recente entenderá. Não me parece que seja o teu caso. Comentários vagos, do tipo "Me gusta tu blog" são normalmente sinal de pouca leitura efetiva do que está escrito...

      Eliminar

- Posso fazer o meu comentário?
- Claro que sim, mas tendo cuidado com a linguagem.
Obrigada!