quinta-feira, 31 de julho de 2014

Uma parte já está

Refiro-me à parte R, que tinha de ser entregue até hoje, e que fui há bocado entregar. No último dia, pois claro, mas não no último minuto!

quarta-feira, 30 de julho de 2014

Sonhos #28

Estava a ter uma formação / um curso que dava equivalência ao 1º Ciclo, depois ao 9º ano, depois ao secundário, enfim, variava conforme o andamento do sonho. No fim, chego à conclusão que não me servia para nada poder ir para a universidade tirar um curso noutra área, porque o curso que eu queria era o que tinha tirado (e correspondia ao que realmente tirei).

Uma das partes mais interessantes deste sonho é que se passava na creche que os meus filhos frequentaram, durante mais de quatro anos (nunca os três ao mesmo tempo). A outra é perceber que mesmo a dormir acabo por validar a minha opção profissional, apesar dos contratempos.

terça-feira, 29 de julho de 2014

Novidades sobre o Feitiço

Apesar de termos cama grande para ele já há bastante tempo, o Feitiço dormiu até ontem (exclusive) na cama de grades. A sua mudança implica a mudança de cama das irmãs, mas elas ainda não experimentaram as novas camas porque estão em casa dos avós felinos.

O Feitiço estava ansioso pela mudança, dormiu lindamente e não caiu da cama (como fez questão de frisar, hoje de manhã).

Outra alteração relativa ao sono foi a decisão de lhe retirar a sesta, não porque ele não dormisse a meio do dia, mas porque estava a demorar "séculos" (para o que era seu costume) a adormecer à noite. Agora, quando vai para a cama, em poucos minutos está "apagado" - um descanso. Tê-lo acordado durante todo o dia é que ainda me parece estranho!

segunda-feira, 28 de julho de 2014

A falsa "doutora" e como limpar panelas queimadas

Resultados de exame médico: "... encontrou-se vários x, compatíveis com doença y."
Internet, pesquisar "doença y": "... origem genética; ... aumenta as probabilidades de contrair a doença z...". Paciente com uma perspetiva não muito otimista: "Todos temos a nossa hora..."

Consulta para discutir resultados com médica: "... não se sabe a causa, pode ter a origem numa combinação de fatores, entre os quais genéticos"; "aumenta as probabilidades de contrair a doença z, se houver alteração no sítio tal, o que não se verifica no seu caso".

[Diálogo pós-consulta]
Paciente: Bem, a médica pintou um cenário menos assustador...
Eu: ... do que a Drª. Wikipedia?
Paciente: Sim!

Eu não sei se isto se passa convosco, mas há muita gente (eu incluída) que tem a mania de procurar informação sobre assuntos sérios na Internet, obtendo muitas vezes (para não dizer sempre) informações pouco fiáveis sobre esses mesmos assuntos. E quando se trata de saúde, quase sempre ficamos alarmados com o que encontramos, para depois, quando esclarecidos, percebermos que pouca verdade havia na informação que encontrámos e que nos assustámos em vão.

A Internet é excelente para muitas coisas, inclusive para pesquisas, mas se calhar é melhor ficarmo-nos pelo lado prático da vida. Por exemplo:


*Ainda não experimentei, mas pelos comentários deve funcionar! :-)

sexta-feira, 25 de julho de 2014

Adiar faz mal às férias

Tenho uma coisa começada por S (um conjunto delas) para fazer há mais de um mês e uma coisa começada por R para fazer até ao fim do mês. Vontade, energia para as fazer: não existem. Têm de ser feitas? Sim. Vão ser feitas? Sim. Quando? No último minuto possível, provavelmente. Já vivi este filme tantas vezes que já devia ter aprendido, mas não.

Razão do título: estou oficialmente de férias, mas como não soube fazer as coisas a tempo e horas, vejo-me mais uma vez nesta situação. Triste...

Durante esta noite

ninguém vomitou cá em casa, o que foi positivo, mas nem por isso dormi a noite de seguida. O Feitiço acordou e acordou-me a pedir água de hora a hora a partir das três e meia (mais ou menos), exceto no último intervalo, que foi de meia hora (porque se fosse de uma hora, já o despertador me teria acordado, e o rapaz não quis deixar passar a oportunidade).

Dormir noites más é das melhores coisas para o meu mau humor florescer. Cuidado! (desse lado da blogosfera estão relativamente a salvo, não sei se os que me rodeiam terão essa sorte...)

quinta-feira, 24 de julho de 2014

De cada vez

que vejo uma pessoa desconhecida* deixar cair lixo para o chão e imediatamente se baixar para o apanhar, a minha fé na humanidade sai renovada. Nem tudo está perdido!

*as conhecidas apanham todas - ai apanham, apanham! - não têm outra hipótese, comigo ali!**

**Não liguem, eu não tenho nada a ver com o facto de apanharem o lixo, dou-me é com pessoas que têm noção que o que é público é de todos e, por isso mesmo, é para tratar como se fosse privado!

O Feitiço tem olhos enfeitiçados...

...isto é, estrábicos. O oftalmologista disse que as probabilidades de corrigir o problema totalmente são grandes, por o estrabismo ter sido detetado cedo. De qualquer maneira, recomendou-nos uma oftalmologista especialista em estrabismo (a especialidade dentro da especialidade!) e já marcámos consulta para o Feitiço, para agosto.

P.S. - Fazer testes aos olhos ("jogos") a um Feitiço "ressacado" da noite anterior e muito, mas muito mesmo, rabugento, não foi pera doce, não, senhores.

Depois da Vassoura, o Feitiço

A Vassoura dormiu com um alguidar ao lado da cama, just in case lhe desse para voltar a vomitar esta noite. Mas não, não vomitou - a Vassoura. O Feitiço substituiu-a nessa atividade.

Estou mentalizada e até "avisei" a Varinha que na próxima noite será ela a vomitar. Respondeu-me com um sorriso surpreendido e otimismo:

- Não, eu não vou vomitar!

Espero que não, Varinha, espero que não! (Até porque sobra para mim e eu reajo muito mal à tortura do sono)

quarta-feira, 23 de julho de 2014

Vassoura em manutenção

Ontem à noite a Vassoura vomitou e descansou muito pouco. Hoje, apesar de ter acordado na altura dos irmãos (aproximadamente 7h), estava tão cansada que voltou para a cama, sem comer. Acordou às 13h! Aos poucos, experimentou comer qualquer coisinha. Ainda não está totalmente recuperada, mas já tem boa cara. O que quer que fosse, parece que já se foi!

Adenda (20:49h): Jantou uma colher de sopa e queixou-se de dor de barriga. Vamos ver como decorre a noite...

Há diminutivos melhores...

Os meus filhos tratam-me, na maioria das vezes, por "mamã". Ocasionalmente, usam a versão inglesa: "mummy". O pior, na minha opinião, é quando acrescentam um carinhoso sufixo português ("-inha") à versão inglesa, o que soa a "maminha".

Ontem, quando eles estavam deitados, a Varinha começou a chamar-me utilizando a última versão que referi, separando bem as sílabas:

Varinha: Maa-mii-nhaa! Maa-mii-nhaa!

A certa altura o irmão resolveu juntar-se à "festa", mas à maneira dele, claro.

Feitiço: Maa-moo-caa! Maa-moo-caa!

...

terça-feira, 22 de julho de 2014

Amizades blogosféricas

O que é uma amizade? Uuuii! Questão filosófica..., à qual não dedicarei muito tempo! Basicamente (e sem pormenores), é uma relação em que as duas pessoas se preocupam uma com a outra, querem saber uma da outra, desejam o melhor uma à outra, gostam de estar juntas, não é? Há também a questão de "estarem lá" uma para a outra, mesmo que a distância as impeça de se encontrarem, ouvindo desabafos, dando conselhos...

Na minha vida tenho algumas Amigas com A maiúsculo (o tamanho da letra é que não é necessariamente igual), mas este post não lhes é dedicado. Desculpem!

Este post é dedicado às minhas amigas blogosféricas. Apercebi-me que a minha relação com os autores dos blogues que sigo (independentemente de seguir oficialmente ou não) difere bastante de blogue para blogue. Alguns blogues eu sigo porque admiro o seu conteúdo, outros porque me divertem, outros por pura curiosidade, outros ainda por uma conjugação de vários fatores.

Mas há dois ou três blogues que eu sinto serem o blog next door, da minha vizinha (com a triste particularidade de eu me sentir mais próxima das autoras do que das minhas vizinhas). Destes blogues, um destaca-se, atualmente, e eu estou desde o início do post indecisa entre mencioná-lo ou não.

Decidi que sim. É o blogue da Escondida. Sinto (posso estar errada) que há reciprocidade, em parte pelas afinidades. Ambas temos uma filha que passou para o terceiro ano e um filho de quatro anos (eu tenho outra filha, mas não faz mal!), ambas temos os pés assentes na terra e ambas escrevemos de forma simples o que acontece ou nos passa pela cabeça (dentro do publicável).

Quem segue o meu blogue e lê os comentários, já conhece a Escondida, não é verdade?

segunda-feira, 21 de julho de 2014

sábado, 19 de julho de 2014

M.E.M.

Cheguei a casa vinda de um congresso de professores, em Lisboa, cansada, mas muito contente por pertencer ao Movimento da Escola Moderna. Aprende-se tanto com a partilha dos outros! Comprometi-me a partilhar algo (da minha prática pedagógica) no próximo congresso anual. Quero cumprir!

sábado, 12 de julho de 2014

Mauzinho(s)!

Rogério [para Varinha, que estava muito fiteira]: Precisas de uma palmada para lavares os dentes?
Feitiço: Eu acho que precisa. Precisa mesmo, papá!

Para quem ficou na dúvida e a pensar nisso, não, não levou uma palmada.

quinta-feira, 10 de julho de 2014

Ainda bem que não sigo a Pipoca

Refiro-me ao blogue que mais seguidores tem, em Portugal: "A Pipoca mais doce".

Eu acho que a Pipoca escreve bem, aliás, muito bem, e com bastante humor. Gosto de a ler. Nem sempre os assuntos me interessam, é um facto, mas não é por isso que digo que ainda bem que não a sigo.

O problema divide-se em duas partes:
  • primeira parte: a Pipoca escreve muito (o que é bom para quem gosta de a ler, dirão vocês - como é que isso pode ser um problema?);
  • segunda parte: os posts têm sempre muitos comentários.
As duas partes pertencem ao mesmo problema, dizia eu, e o problema é que, quando lá vou, gasto sempre imenso tempo a ler tudo (relativo a um ou dois posts apenas!).

Por isso, se eu seguisse a Pipoca e os seus posts surgissem no meu blogue, naqueles sítios onde aparecem para abrir o apetite para a sua leitura, iria muito mais vezes visitá-la, e iria gastar diariamente muito mais tempo nessa atividade. Atualmente, só lá vou a partir de outros blogues e assim vou continuar.

quarta-feira, 9 de julho de 2014

Alheia ao Mundial #2

OK, não tão alheia quanto isso!

Ontem vi o fim da primeira parte do jogo entre a Alemanha e o Brasil, desliguei a televisão, desliguei o computador, preparei-me para ir para a cama, e quando dei conta que já só faltavam dez minutos para o fim do jogo, resolvi ligar novamente a televisão e ver o fim do jogo. Estava com o palpite que o Brasil teria marcado um ou dois golos por aquela altura, mas não, a Alemanha é que já levava 7 golos no marcador. Vi o golo do Brasil aos 90 minutos e depois, em vez de desligar a televisão, ainda fiquei a vegetar no sofá mais uns três quartos de hora antes de ir para a cama.

Confissão: antes do jogo, se me perguntassem que equipa preferiria que ganhasse, diria: "Brasil". Se me perguntassem que equipa achava que iria ganhar, diria: "Alemanha" - sem grandes certezas, diga-se de passagem.

Confissão mesmo confissão: quando o Brasil estava a perder por 5 a zero, aos 30 minutos de jogo, parte de mim ficou contente, porque se tornou evidente que qualquer equipa pode ter uma derrota estrondosa (pelo menos contra a Alemanha)... o que amenizou os 4 golos sofridos por Portugal na fase de grupos.

Lembrança: até agora, neste Mundial, só o Gana não perdeu com a Alemanha (embora só tenha tido um ponto e não tenha passado a fase de grupos)!

Conclusão: no futebol, tudo pode acontecer.

segunda-feira, 7 de julho de 2014

quinta-feira, 3 de julho de 2014

O elevador do nariz

O Feitiço fica facilmente constipado e do nariz ranhoso a uma otite, é só um pulinho. (Não contei aqui, mas depois de uma otite no fim de maio, teve outra em junho.)

Eu e o Rogério tentamos que o Feitiço mantenha uma boa higiene nasal. Nem deveria ser necessário pôr-lhe soro fisiológico no nariz, pois ele sabe assoar-se, mas pomos à mesma, já que raramente se assoa como deve ser (muito barulho e pouca eficiência, é o que vos digo).

Ontem, o Rogério disse ao Feitiço que, se ele não se assoasse, se calhar teríamos de lhe limpar o nariz com um aspirador de narizes (coisa que temos, mas que não usamos há muuuuito tempo). O Feitiço riu-se, pois achou piada à mímica que o pai fez da aspiradela do nariz, e depois de uma recusa inicial, acabou por dizer:

- Está bem, o papá pode limpar o nariz com o elevador!

Como o Feitiço entretanto se assoou, não utilizámos o aspirador. Já agora, acham que nos devemos preocupar com a validade do dito cujo?

quarta-feira, 2 de julho de 2014

"São twinnies"!

Ontem fizeram 11 anos as filhas de um casal amigo. Parabéns, mais uma vez!

Hoje recordei dois momentos que se passaram antes do nascimento e apetece-me registá-los (até porque não tenho energia mental para outros posts).

Antes da C. estar grávida, mas sabendo eu que andavam a tentar, sempre que nos encontrávamos eu fazia a pergunta que não se deve fazer a quem está nessa situação: "Então, há novidades?". A resposta era sempre negativa. Até que um dia, ao entrar no carro, cumprimentei a minha amiga e não fiz a pergunta do costume. Aí, diz-me ela: "Então, hoje não me perguntas se há novidades?"... E havia, claro! :-)

Algum (pouco) tempo depois, estava eu na escola, quando recebo uma mensagem no telemóvel: "São twinnies!"

Adorei a forma como me informou que eram gémeos (gémeas, veio a verificar-se), porque aludia ao jogo de cartas que jogávamos nos intervalos das aulas, em que, sempre que colocávamos uma carta por cima de outra igual, dizíamos que eram "twinnies" (acho que primeiro dizíamos "twins", mas depois o outro nome "pegou")...

Não tenho muitas certezas neste mundo, mas uma das que tenho é que, se o sonho que contei aqui se tornasse realidade, esta minha amiga seria informada exatamente da mesma maneira. Combinado?