terça-feira, 21 de março de 2017

No domingo...

... fomos almoçar ao Terra, com os Avós e Tio Gatos. Almoço excelente, como sempre. Desvantagem de o restaurante estar muito cheio: a fila para o buffet demorava um bocadinho mais do que gostaria (mas nada do outro mundo!).

A seguir ao almoço, fomos ao Jardim do Príncipe Real, para as crianças brincarem no parque infantil. Não ficámos muito tempo, mas elas aproveitaram-no bem.


Novamente em casa, o Feitiço pediu-me para pintar com aguarelas (as irmãs pintaram na véspera e era suposto ele ter pintado de manhã, enquanto elas estavam na Catequese, mas por culpa minha não pintou). Lá preparámos tudo. A pintura, que foi antecedida por desenho com lápis de cor preto, ficou assim:


(Desculpem a má qualidade da fotografia...)

domingo, 19 de março de 2017

Sondagem renhida, mas...

... parece que há um nome com mais hipóteses de ganhar do que outro (já nem digo nada da outra opção, coitadinha!): "Magia".



Quem votou em "Poção", ainda pode arranjar quem vote na sua preferida, para ver se recupera... Como se pode ver, ainda faltam 12 dias para terminar a sondagem!


V O T E M ! ! !

Desafio "a la Feitiço"

Há pouco resolvi ir aos rascunhos ver se havia algum texto que desse para terminar e publicar. De um total de sete, um texto surpreendeu-me que estivesse nos rascunhos, porque parecia completamente pronto. Publiquei-o e só depois reparei que até já tinha dois comentários, feitos no dia 6/9/2016, pelo que concluí que estava nos rascunhos acidentalmente.

Dos restantes seis, escolhi um para publicar, fazendo-lhe alterações. É que era supostamente um desafio, com direito a prémio e tudo, mas o problema é que nem eu sei qual é a resposta! Assim, o que era um desafio/concurso passa a ser apenas mais um exemplo da linguagem original do Feitiço.

Por ocasião da primeira vitória do Feitiço (e desde essa, em todas as outras), ele pôde escolher o que aos meus ouvidos (e aos da minha mãe) pareceu "Tazan com manteia".

Alguém tem ideias?

(Não se esqueçam que eu também não sei* a resposta, pelo que estejam à vontade com os vossos palpites!)

*(mas desconfio...)

P.S. - Devia ter reparado na data do rascunho. Agora já só aparece a data de hoje, pelo que não sei exatamente quando se passou. Por outro lado, o link dá uma boa pista!

Sim, ...

... foi desta. Finalmente!

sábado, 18 de março de 2017

Ovo de "cara lavada"

Antes de nascer a Vassoura, comprámos um conjunto carrinho/ovo/alcofa. Por altura do nascimento da Varinha, comprámos um carrinho duplo, com dois lugares "normais", um à frente do outro, mas com possibilidade de colocar um ovo (que fazia parte) no lugar mais próximo de quem empurra o carrinho. Este carrinho duplo foi muito útil, tanto na fase Vassoura+Varinha, como na fase Varinha+Feitiço. Ainda temos tudo (a Matilde ficou admirada com este facto, há uns dias, não percebo porquê - nós nunca excluímos a possibilidade de termos mais filhos).

Bem, indo de encontro ao título do post, é ao primeiro ovo que me refiro. Mandei fazer, na "Maria Café", um forro em algodão (ao contrário do material original, que é sintético, o que me levou sempre a colocar uma fralda de pano por baixo da ou do bebé), com cobertura tipo edredão (amovível) para os dias ou momentos do dia mais frios e uma capota. A renovação inclui as três almofadinhas do cinto de segurança (duas dos ombros e uma entre as pernas, junto ao fecho).

O que a renovação não inclui, obviamente, porque é uma renovação de superfície, é um novo cinto de segurança. Olhando para o cinto, que em vez de azul-acinzentado estava castanho, tornou-se óbvio que precisava de ser lavado*. "Máquina de lavar com ele!", pensei eu. "Se calhar vou ter de o lavar mais do que uma vez, para ficar realmente com bom aspeto."

Ontem comecei a tirar o cinto do ovo, e a coisa ia bem... até chegar à última parte, que simplesmente não sai. De certa maneira, apesar do contratempo, até gostei de saber que não sai, por questões de segurança.

O Rogério, a brincar (foi a brincar, não foi?), sugeriu que aproximasse o ovo da máquina de lavar, pusesse o cinto lá dentro, tanto quanto possível, e fechasse a porta da máquina. É claro que, estando ele a brincar ou não, eu não faria isso. Pobre cinto, pobre ovo e pobre máquina de lavar roupa!

Então que fiz? Sem esperar grandes resultados, levei o ovo para a marquise, coloquei-o em cima da bancada, ao lado do lavatório, peguei numa escova de dentes (velha, claro!) e em detergente da loiça e esfreguei o cinto. Resultado: o castanho desapareceu, o azul-acinzentado voltou e já não mete nojo pensar em colocar uma bebé num ovo com aquele cinto! Até o tecido do novo forro beneficiará visualmente da higiene do cinto.


👍

*Também o tal tecido sintético, as almofadinhas, etc., seriam lavados, mas nenhum "gritava" "Lavem-me!".

Dona-de-casa #2

Ah, que bela dona de casa me mostrei ontem! ... 

Foi pena ter deixado a travessa com o bacalhau fora do frigorífico durante toda a noite!

Pior ainda se tivermos em consideração que o mesmo aconteceu na vez anterior que fiz bacalhau com natas...

sexta-feira, 17 de março de 2017

Dona-de-casa

Dá-me um gostinho especial conseguir lavar toda a roupa do cesto, deixando-o vazio. Fica assim no máximo duas horas, mas são duas horas especiais! Hoje foi um desses dias.

Hoje foi também um dia em que cozinhei, na Bimby, bacalhau com natas. Finalmente começa a ser corriqueiro fazer este prato. Durante alguns anos só o fazia na véspera de Natal... Como a Nina passou a vir só uma vez por semana, em vez de duas, em novembro passado, tenho tido mais oportunidade de experimentar. Agora que este prato já não é fonte de stress (porque, caros leitores, a Bimby para mim nunca foi sinónimo de simplicidade na cozinha, embora considere, desde o início, que a parte dos botões é muito fácil de entender), é talvez altura de arriscar outros...

quarta-feira, 15 de março de 2017

Oh, não! Sou daquelas mães!

Descobri que sou daquelas mães que dizem: "Não percebo esta nota do meu filho. Lá em casa ele consegue fazer tudo!".

O que acabei de escrever é falso. Não sou dessas mães, especialmente na parte de dizer. Nunca chateei os professores com esse tipo de conversa (também, até este ano, nunca faria sentido, pois a Vassoura e a Varinha não têm tido dificuldades de maior).

Mas, concretamente no caso do Feitiço e da leitura, ao ouvi-lo ler um livro inteiro, ao ouvi-lo ler mais ou menos tudo o que lhe aparece à frente, com bastante desenvoltura, muito embora ocasionalmente ainda lhe dê para inventar (adivinhando) o que está escrito, custa-me que ele tenha mantido nota negativa a Português, nesta avaliação intercalar. 

O que eu sei é que nem sempre os alunos demonstram as mesmas aptidões na escola e em casa (e nem sempre é em casa que demonstram mais), por isso vou continuar a insistir com o Feitiço para dar o seu melhor na escola - no comportamento, na atenção e na realização dos trabalhos. Não tenho muitas alternativas!

terça-feira, 14 de março de 2017

No copo de água...

... do meu casamento, a comida estava boa. Eu não me lembro particularmente (acho que nunca comi tão pouco num casamento como no meu), mas recordo-me muito bem da minha irmã Margarida, que estava grávida na altura, me dizer uns dias depois que a comida estava muito boa e lhe tinha caído muito bem, pois não tinha ficado com azia.

E por que é que me lembrei disto?

Exato - a azia voltou a atacar[-me]! 🔥

Cheiros

Feitiço, para mim: Cheiras a quente!

Eu: O quente e o frio não têm cheiro.

Feitiço, depois de me voltar a cheirar: Cheiras a carne. Deve ser porque a bebé já cresceu e já tem muita carne!

😀

segunda-feira, 13 de março de 2017

14 anos é uma idade gira...

... quando se é uma jovem rapariga com os pés na terra e o coração doce.

🎂🎂🎂🎂🎂🎂🎂
Parabéns, Marta! 
🎂🎂🎂🎂🎂🎂🎂

Também quero!

E o que é que eu também quero?

Que haja pelo menos tantas pessoas a dar opinião na sondagem para o nome blogosférico da bebé como houve para o nome real da quarta criança da Rita, do blogue "Re-grávida".

Não é pedir muito, pois não?
(A avaliar pela vossa participação, parece que é)!


V O T E M ! ! !

P.S. - Se não houver mais votos, o nome será "Magia"*, pois tem 10 votos, contra os 8 da "Poção".

*(nome completo ainda a definir!)

Difícil resistir!

Quando entro numa loja que tenha roupa de bebé ou criança, é-me muito difícil resistir a comprar alguma coisa, no meio de tantas coisas giras (numas lojas mais do que noutras). 

Hoje fui trocar um vestido (meu) e, numa outra loja, cheguei a estar com uma peça de roupa para bebé na mão, na fila para a caixa. Não estava muita gente à minha frente, mas o facto de ter de esperar um bocado foi suficiente para refletir melhor, sair da fila, colocar a roupa no local de onde a tirara e sair sem comprar nada. Atendendo a que podia pagar apenas metade do valor, foi um ato heróico (passe o exagero)!