terça-feira, 30 de junho de 2015

Bom contributo,

o de hoje, para reduzir o défice numérico de posts do mês. Se eu ficasse acordada até às 23:59h, sempre a publicar (baboseiras e parvoíces, ou não), precisaria de mais quinze posts para conseguir a média desejada de dois posts por dia...

(Re)Descobri há pouco tempo

... que quando visto saia ou vestido e uso sapatos com um bocadinho de salto (para mim, basta não ter sola com altura de um dedo, ou menos, e já tem um bocadinho de salto) me sinto mais feminina, mais elegante, mais confiante...

Dei por mim a pensar que tenho de investir mais em saias e vestidos e menos em calças de ganga ou calças em geral.

Quando chegar o inverno, esqueçam tudo o que acabei de escrever. Será muito difícil apanharem-me de saia nessa altura! (Mas não gosto de dizer nunca...)

Reunião

Tinha planeado estar na escola às nove horas, mesmo não tendo nenhuma reunião agendada, porque não me falta trabalho para fazer, na sala de aula.

Ontem à noite vi um mail a marcar reunião para as 10:30h de hoje. "Tudo bem", pensei, "já lá estarei de qualquer maneira!"

Alguém me explica por que é que são 9:08 h e eu ainda estou em casa, sem estar arranjada, sem ter tomado o pequeno-almoço e a escrever post atrás de post???

Não há doida como eu!

P.S. - Na verdade, eu sei a razão. É o último dia do mês e eu queria subir o número dos posts publicados... (É um bocado triste, eu sei!)

Ainda os olhos do Feitiço

O Feitiço foi ontem à consulta do pós-operatório. Relativamente aos olhos marados, a médica confirmou que é uma consequência normal, e até desejável, que os olhos se desviem para fora. Melhora as probabilidades de, ao passar o efeito do botox, os olhos "pararem" no sítio certo.

A má notícia foi que o olho predominante continua a fazer todo o trabalho, pelo que o Feitiço terá de voltar a tapar esse olho (o esquerdo) durante três horas por dia. Contou-me o Rogério ontem à noite que, assim que tapou o olho ao Feitiço, ele desatou a correr e foi de encontro à porta. Mesmo assim, não aprendeu a ter mais cuidado: quando eu já estava em casa, a certa altura levantou-se do sofá a correr e, adivinhem?..., foi bater na porta outra vez!

Dentes

Na consulta, a médica viu os dentes da Varinha e disse que há muito tempo não via uma cárie daquele tamanho (são quatro, mas uma é muito maior do que as outras) numa criança daquela idade... Claro que falou em dentista, especialmente por causa do dente definitivo que precisa que os da frente saiam para ir para o seu lugar. Segundo a médica, os incisivos de leite estão bem presos à gengiva e terão de ser tirados. Mas cada macaco no seu galho... já marcámos* dentista (para os três).

*Foi o Rogério que marcou. Marcou para os três por insistência minha, a ele parecia que a Vassoura e o Feitiço não precisavam. Se a dentista disser que está tudo bem com os dentes da #1 e do #3, ótimo, boas notícias! (E assim talvez não pareça que somos - porque não somos! - uns baldas quanto à higiene oral dos nossos filhos.)

Feitiço, filho único

A Vassoura e a Varinha estão em casa dos meus pais. Fomos levá-las ontem, depois do jantar.

O Feitiço desceu as escadas do prédio dos meus pais a falar em saudades das manas...

A Vassoura disse ao Feitiço, antes da despedida, as sábias palavras do Avô Bruxo:

- Feitiço, porta-te bem:
Não arrelies o papá,
nem arrelies a tua mãe!

O Avô, que tem sempre um pouco mais de sabedoria (e rimas) para partilhar, acrescentou um "verso", ficando assim a recomendação final:

- Feitiço, porta-te bem:
Não arrelies o papá,
nem arrelies a tua mãe!
Não arrelies ninguém!

segunda-feira, 29 de junho de 2015

Varinha - medições...

A Varinha fez análises a pedido da pediatra, que a achou muito "amarela" (tem achado desde sempre). A médica pensa que não deve haver nenhuma causa grave, mas, para ter certeza, pediu as análises.

Outra coisa que a pediatra fez foi medir peso e altura. Em 14 meses, aumentou 6 centímetros (nada de mais, mas não está mau). Relativamente ao peso... nem um quilograma aumentou. É mesmo esticadinha, esta filha. (Eu também sou fui assim, leve, levezinha... Quem se lembra que o confirme!)

A Varinha fez análises

Hoje a Varinha estreou-se nas análises (urina e sangue). (Estreou-se se descontarmos as análises que fez quando esteve internada uma semana, entre o primeiro e o segundo meses de vida.)

Na parte da urina, tal mãe, tal filha. Demorou imenso tempo até conseguir "deixar sair"...

Na parte do sangue, chorou um bocado, antes e durante, mas nada de especial. Preferia que não tivesse chorado, mas não se pode ter tudo... Antes que perguntem, não, nesta parte não se aplica a expressão "tal mãe, tal filha". Até hoje (e comecei aos nove ou dez anos) sempre tirei sangue sem problemas...

domingo, 28 de junho de 2015

Talvez - palavra "eureka"

Não sei como não me lembrei disto antes! Passo a explicar.

A simpática cadeia de lojas Toys'R'us (olha eu a fazer-me às ofertas... em vão!) presenteou-nos com dois catálogos na caixa do correio. Se só ofereceram um, o outro deve ter sido posto por vizinhos (que, ou não têm crianças e consideram que o folheto não lhes serve para nada, ou têm crianças e não querem ter o catálogo lá por casa - espertos!). Não me queixo: é bom que sejam dois: um para o quarto delas e um para o quarto dele. Elas veem / leem a coisa para dar azo à imaginação, ele usa o catálogo mais em contínuo modo pedinchão.

Feitiço, várias vezes ao dia desde que o catálogo apareceu: Posso ter isto? Compras-me isto quando eu fizer anos [nota: faz anos em janeiro!]? Podes dar-me este [...]? Oh! É tão giro! Dás-me? Este é barato, é só "dois um" [21 € - como se ele soubesse avaliar!] [...]

Eu, em resposta: Não, porque ... [razão válida].

Feitiço: És má porque não me dás [...].

Eu: Quando estiveres quase a fazer anos, ou na altura do Natal, podes dizer algumas coisas que gostarias de receber. Depois eu e o papá compramos aquilo que acharmos melhor. [Esta foi uma das muitas variantes de resposta que dei.]

Esta noite, na casa de banho, aquando de mais um ataque de pedinchice [nota para mim: confirmar grafia da palavra], respondi:

Eu: Talvez.

Feitiço, com uma pequena gargalhada: A sério? Iééé!

Feitiço: E estes, também?

Eu, sem olhar: Talvez.

Feitiço: Não podes responder, não estás a olhar!

Eu: Não preciso de ver. Eu tenho algum dinheiro, isso está à venda, por isso a resposta é talvez.

O Feitiço continuou então, já na sala, a perguntar-me se lhe dava isto e aquilo. O Rogério, desconhecendo este avanço nas negociações, disse ao Feitiço que não gostava de o ouvir a dizer que queria tanta coisa e que, não sendo altura do Natal ou dos anos dele, não valeria a pena continuar a fazer isso. 

Eu: O Feitiço sabe que falta muito tempo, ele está só a preparar, a organizar as coisas para quando chegar a altura estar tudo pronto...

Feitiço: Pois é, eu estou só a preparar, a ogra... a preparar, a ogar... a ogranizar as coisas.

:-)

Vou rifá-los!

À Vassoura e ao Feitiço.

A Varinha pode ficar.

Desabafo de mãe.

Marados!

Não é um termo que eu utilize com frequência (nem tenho certeza de o ter utilizado anteriormente), mas nestes últimos dias aplica-se "que nem ginjas"... aos olhos do Feitiço!* 

Desde a operação, ou melhor, desde o dia após a operação, a íris dos olhos do Feitiço anda a "passear" de um lado para o outro. Faz um bocado de impressão, mas, segundo a médica, e já antes da operação, é o que acontece durante alguns dias. Só depois os olhos ficam direitos.

*Quem achou que o termo se aplicava (ou que eu o ia aplicar) aos responsáveis dos concursos de professores também não andou longe da verdade...

sábado, 27 de junho de 2015

"Uma Aventura" e associações

Na minha juventude, lia e gostava muito da coleção "Uma Aventura", da Ana Maria Magalhães e da Isabel Alçada. Tinha (e tenho) todos os livros até ao 30. Deixei de ler, deixaram de me oferecer (faz sentido!). Atualmente a coleção já quase duplicou - na editora, cá em casa continuam a ser trinta. 

Há umas semanas, soube que a Vassoura tinha lido e gostado do segundo livro (emprestado por uma amiga), por isso fomos à arrecadação buscar a minha velhinha coleção. Surpresa: faltavam dois livros, o 21º e o 27º. Combinei logo arranjar os livros quando ela chegasse lá, lendo por ordem.

Na passada quinta-feira fui ao Continente* com a Vassoura, para comprar um fato de banho para ela. Passámos na parte dos livros e, tcharam!, encontrámos e comprámos os dois números em falta (além do 12º do Colégio das Quatro Torres, que era também o único que faltava na coleção).

A Vassoura é a devoradora de aventuras de serviço, mas a Varinha gosta de saber pormenores sobre as histórias e o Feitiço gosta de explorar as imagens.


Os desenhos originais não eram estes...
mas o Pedro usava óculos à mesma! :-)

Feitiço: Qual é que é o mau?
Eu: Nenhum, são todos bons.
Feitiço: Mas qual é que é o mau?
Eu: São todos bons. 
Feitiço [apontando, na contracapa, para a imagem do "Chico"]: Este não é mau?
Eu: Não.
Feitiço [apontando para um desenho do interior do livro, em que o "Chico" está a bater em alguém]: Mas aqui ele está a bater...
Eu: Deve estar a bater nuns "maus", para ajudar os "bons"...

Passado um bocado...

Feitiço [apontando para a imagem do "Pedro"]: Este é o professor?
Eu: Não.
Feitiço: Então por que é que usa óculos?
Eu: Porque a personagem dele precisa de óculos para ver bem, como tu ...

---------------------------

* (Passe a publicidade - quer dizer, todos nós dizemos aquela piadinha do "Novidades - só no Continente", por isso não me parece grave, além de que eu posso dizer e escrever coisas sobre as lojas que quiser.)

quinta-feira, 25 de junho de 2015

Ontem...

... tive duas reuniões de atendimento individual a encarregados de educação logo pela manhã. A seguir, tive um dia de passeio por Sintra e arredores com quase todos os meus colegas de escola (foi um dia que nos foi dado "em troca" do dia duplo que passámos na escola por causa da festa de encerramento do ano letivo).

Foi um dia espetacular. Talvez consiga colocar fotografias para ilustrar (tirei pouquíssimas) quando me lembrar de não deixar na escola o cabo que liga a câmara ao computador...

Nós, Jesus,...

... como bem sabes, fizemos a avaliação do Plano de Turma em pouco tempo. Não foi difícil, mas foi tão difícil começar!

*************

Tenho tentado, quando me lembro, fazer as coisas por amor, não para despachar, não para não ouvir reclamações, não para ficar bem vista... , mas lembro-me poucas vezes. Mesmo esta oração de intimidade, "Nós, Jesus,...", não digo tantas vezes quanto isso.

Hoje, há pouco, antes de começar a tal avaliação do PT (não ler personal trainer!), foi das vezes que me lembrei - tanto do "Nós, Jesus, ...", como do "por amor", mas sinceramente, a oração foi mais assim:

"Nós, Jesus, vamos fazer a avaliação do PT, mas tu sabes que não é por amor, era bom que fosse, mas não é, é mesmo para ficar feito, para por uma vez cumprir o prazo dado pela coordenadora, para não ter de pensar mais nisso!"

Quem diz a verdade, não merece castigo, não é? A verdade é que não fui mesmo nada castigada, antes pelo contrário. OBRIGADA, JESUS, por tornares simples as tarefas complicadas e chatas!

quarta-feira, 24 de junho de 2015

Os olhos enfeitiçados do Feitiço

Lembram-se disto?

Depois de vários meses a ter consultas com a tal oftalmologista especialista em estrabismo e a fazer o que ela recomendou (tapar o olho esquerdo algumas horas por dia), o Feitiço foi ontem operado aos olhos. Como é "fino", a operação consistiu em pôr botox nos músculos dos olhos.

A operação correu bem, o pior foi (e é) colocar as gotas num Feitiço que não gosta nada de o fazer.

Mas haverá quem goste de pôr o que quer que seja num olho? Ainda estou para encontrar alguém...

Amizade imaginária

Varinha: O meu amigo imaginário está dentro de mim.
Feitiço: Porquê? É um bebé?
Varinha: Não, é uma bebé.
Feitiço: Então não é amigo, é amiga.

segunda-feira, 22 de junho de 2015

Fruta valiosa (ou não)

Varinha: Ainda bem que a ameixa da Vassoura não tem ouro!
Eu: Ouro?!?
Vassoura: Se tivesse ouro é que era bom!
Eu: Não, não era, porque se tivesse ouro não a podíamos comer.
Vassoura: Mas ficávamos com o ouro!
Varinha: Não é ouro, é ...[pensa um bocado, com um ar atrapalhado, e arrisca:] ... bolor!?!
Eu: Sim, é bolor que se diz!

:-)

domingo, 21 de junho de 2015

Sílabas CCV*

Feitiço: ... à pocura...
Eu: ... à procura ...
Feitiço: ... à pocrura ...
Eu: ... pro-cu-ra ...
Feitiço: ... po-cru-ra ...
Eu: ... pro-cu...
Feitiço: ... pro-cu-ra!
Eu: Boa!

* Sílabas formadas por consoante-consoante-vogal.

Limpar manchas das mãos #2

A Varinha fez um upgrade ao shampô-cromos. Hoje, tendo voltado a sujar as mãos com canetas de feltro, perguntou ao Rogério:

- Papá, podes dar-me aquele sabonete especial chamado "Pedra-cromos"?

****************

Pseudo-anedota:

- Como se chama uma prateleira cheia de pedras-cromos?
- Caderneta.

sexta-feira, 19 de junho de 2015

Tic-tac, tic-tac...

Aguardo com expectativa a saída das listas definitivas de colocação/não colocação/exclusão do concurso de professores. É a expectativa de quem sabe que vem aí uma bomba e que vai rebentar em cima de si. 

Não gosto de injustiças, e muito menos de as sentir na pele.

Para me ajudar, vou-me lembrando que o maior injustiçado foi Jesus, por Amor. Assim, nós, Jesus, vamos lidar com a bomba quando ela rebentar mesmo. 

Obrigada a todas as pessoas (embora a maioria não leia o blogue) que também fazem parte da Brigada Anti-Minas e Armadilhas (ou lá como se chamam estas equipas)!

Não dou banho ao Feitiço

... desde esta altura. O Rogério deu um dos banhos, acho. Os outros foram a Varinha ou a Vassoura.

Gosto disto!

Mas desconfio que um dia destes (não será hoje nem amanhã!) começarei a ficar com saudades...

quarta-feira, 17 de junho de 2015

Parabéns...

... à minha linda, querida, inteligente, e muitos outros adjetivos qualificativos positivos, sobrinha e afilhada mais velha (a tal familiar que está no Bangladesh - ou com a Rainbow Dash, como preferirem)!


23 aninhos anos... é uma senhora!

Aproveito para dizer que no dia 14 fez anos (88) a Avó Gata e no dia 15 a filha mais velha da minha segunda irmã mais velha, que é também a minha afilhada mais nova (fez 12 anos). Falhei a informação nesses dias...

terça-feira, 16 de junho de 2015

Parabéns!...

... à minha única irmã que não é mais velha do que eu. Faz hoje 40 anos!

GRATULERER MED DAGEN!!! 

(isto é capaz de ter erros, mas poucas pessoas que leem este blogue conseguirão - ou terão paciência para - descobrir quais!)

Hora do banho

No domingo quem deu banho ao Feitiço foi a Varinha. Correu tão bem, que ontem a Vassoura quis ser ela a dar banho ao irmão. Banho deu, mas secar foi o Rogério. Ao que parece, o Feitiço deixou de colaborar quando a Vassoura o contrariou em alguma coisa (desconheço o quê)...

segunda-feira, 15 de junho de 2015

Acabaram as aulas

e as coisas malvadas começadas por S estão feitas. Posso arranjar alguma coisa para estragar as férias, mas pelo menos as coisas (já não tão) malvadas não serão!...

Disse eu há pouco ao Rogério:

- A incompetência do ME já serviu para eu te conhecer; esta incompetência de agora* também há de servir para alguma coisa...

(*problemas** com a minha candidatura no concurso de docentes)

(**invalidação absurda)

sábado, 13 de junho de 2015

É parecido!

A propósito dos anos de várias familiares (que fazem anos em breve), eu disse à Vassoura que uma dessas familiares está no Bangladesh. A Vassoura transmitiu a informação à Varinha.

Reação da Varinha:

- Ela está com a Rainbow Dash?

Resultado de imagem para rainbow dash
Rainbow Dash da série My Little Pony

Só quem esteve ontem

na festa de fim de ano da minha escola sabe a razão de eu estar com esta canção na cabeça:

Sonhos #47

Sonhei que o Feitiço tinha piolhos.

Não basta ter de lidar tantas vezes com os parasitas na vida real, ainda tenho de lidar com eles em sonho? Já chega!

quinta-feira, 11 de junho de 2015

Sonhos #46

Não me lembro dos contornos do sonho (envolvia casas de banho!), mas do acontecimento principal lembro-me claramente: o Feitiço acaba perdido. Quando "aconteceu" e não o consegui logo encontrar, acordei.

quarta-feira, 10 de junho de 2015

Morreu? Não! ou "Desafio só mais 1" - 2ª edição

Depois de deixar a pergunta no ar, usei os neurónios que ainda me assistem e pesquisei no Google sobre "Desafio só mais 1". Acabei por descobrir alguns blogues que em maio participaram no desafio e cheguei ao último post sobre o desafio. Sei que foi o último porque o blogue nomeado não tem nenhum post publicado depois da data em que foi desafiado. 

A última regra do desafio (a E.diz: "Se o blogue nomeado no ponto C não responder ao desafio no prazo de uma semana, repetir o número C, nomeando outro blogue. (Tentativa de manter o desafio a circular.)". A Inês Direito, autora do último post do desafio, esqueceu-se deste pormenor e não nomeou mais ninguém. 

Terei portanto de declarar o "Desafio só mais 1" morto e enterrado?

Não.

Pego nas perguntas existentes (são 8), dou as minhas respostas, acrescento uma pergunta, nomeio outro blogue e declaro que tudo não passou de um falso óbito! :-)

*********************************************

Desafio só mais 1

As regras são as seguintes:

A. Responder às perguntas da lista. (Responder "Passo." se não se quiser responder a alguma pergunta.)
B. Acrescentar uma pergunta à lista de perguntas.
C. Nomear um blogue para responder ao desafio.
D. Colocar o link do post num comentário ao post onde se foi desafiado(a).
E. Se o blogue nomeado no ponto C não responder ao desafio no prazo de uma semana, repetir o número C, nomeando outro blogue. (Tentativa de manter o desafio a circular.)

A. Responder às perguntas da lista:

1. Se pudesses fazer uma pergunta a uma pessoa influente (qualquer que seja o campo de influência), que pergunta seria e a quem a farias?
Perguntaria à pessoa responsável pela marcação das datas das reuniões de avaliação qual é a pressa (exceto no caso dos anos em que há exame nacional e os prazos "obrigam" à pressa). Não saberá que "depressa e bem não há quem"?

2. Qual o elogio mais original que recebeste?
Não sei se será muito original, mas é o meu preferido! No dia do meu casamento, um primo da parte do Rogério, na altura com 2 anos e tal, quando a mãe lhe perguntou: "Olha a noiva, não está bonita?", respondeu: "Não é uma noiva, é uma princesa!"

3. Se pudesses voltar atrás, o que mudarias?
Há muita gente que diz que não mudaria nada, porque com os erros se aprende e blá, blá, blá, mas eu mudaria muita coisa, pequenos pormenores. Uma mudança que não seria tão pequena assim: não aceitaria a proposta de ir trabalhar para o colégio onde trabalhei quando acabei o curso, de modo a poder aceitar a proposta que me surgiu depois, de trabalhar numa escola onde estagiei. Faria esta mudança mesmo sabendo que não trabalharia com as minhas queridas colegas e amigas de curso.

4. Que sonho não pode ficar por realizar?
Passo.

5. Se te fosse concedida a realização de um desejo (apenas um) o que escolhias?
Tirando a resposta óbvia, imediata e humana: "Pedia desejos infinitos, para poder continuar a pedir", pediria que pudesse ser humilde e ter confiança ilimitada em Deus, de modo a não me deixar abalar pelos "sismos" da vida.

6. Estás satisfeita com o teu corpo? Porquê?
Depende dos dias, mas se tivesse menos gordura e mais firmeza em algumas zonas estaria mais satisfeita! Ah!, esperem... é suposto fazer alguma coisa para que isso aconteça, do tipo "fechar a boca" e fazer exercício físico? Sim?!? Então estou razoavelmente satisfeita...
Pensando melhor: não estou satisfeita com a quantidade de cabelo que tenho e, se pudesse, teria mais cabelo (coisa que só tive durante as gravidezes)!

7. Tinhas 1 hora para fazer tudo o que te desse na cabeça, ilegal ou não, proibido ou não, sem sofreres qualquer punição ou represálias. O que fazias nessa hora?
Vieram-me algumas coisas à cabeça, mas acho que não faria nenhuma delas, mesmo podendo e não tendo represálias. Deverei dizer "Passo."?

8. Se ganhasses o euromilhões o que fazias com o dinheiro?
Não sei como ganharia, uma vez que não jogo! ;-)
Sei que é muito dinheiro, mas não tenho bem a noção do que é que poderia fazer com ele. Se desse, compraria uma casa maior, passaria a ter a Nina todos os dias, arranjaria um motorista particular, reduziria o horário de trabalho do Rogério para metade (primeiro pensei que ele deixaria de trabalhar, mas depois lembrei-me que ele se calhar não largaria os jogos de computador e decidi que não seria assim tão boa ideia) e o meu também, ficando com as tardes livres... Last, but not least, instituiria uma ajuda generosa e regular a várias instituições que ajudam quem mais precisa.

B. Acrescentar uma pergunta à lista de perguntas.
9. Se não estivesses neste momento a ler/escrever (n)um blogue, o que estarias a fazer?

C. Nomear um blogue para responder ao desafio.
Nomeio a caríssima Olívia do blogue "Adotar amar viver"!

D. Colocar o link do post num comentário ao post onde se foi desafiado(a).
Não se aplica, uma vez que ninguém me nomeou, fui eu que "ressuscitei" o desafio.

Alguém sabe por onde anda...

... o desafio "Só mais 1"?

Uma pessoa lança assim um desafio para a Blogosfera, segue-lhe os passos durante algumas paragens, esquece-se... e acaba por lhe perder totalmente o rasto! Terá morrido?

Mais um novo verbo

Há uns tempos, enquanto falávamos sobre os recreios e alguns pequenos conflitos que tinham surgido entre algumas crianças, um aluno, querendo dizer que, na brincadeira, estavam a "disparar a pistola", disse:

- Estavam a pistolar...

:-)

P.S. - Confesso que precisei de confirmar que não existia mesmo este verbo. É que há tantos verbos que desconheço, que poderia existir o verbo "pistolar" - "disparar com a pistola"...

segunda-feira, 8 de junho de 2015

Nós, Jesus,...

...vamos viver esta semana de aulas e todas as semanas de reuniões e avaliações juntos. Sozinha... rebento!

domingo, 7 de junho de 2015

Os filhos são o nosso espelho

Eu não primo pela arrumação (é um papelinho aqui, um livro com ideias giras ali, por cima o envelope que trazia não-sei-o-quê, ... e num instante há montanhas de coisas à volta do meu local de trabalho - que desde que não temos escritório é uma ponta da mesa da sala -, e também em cima da cómoda do quarto... enfim).

Apesar de perceber que o meu exemplo não é o melhor, neste campo (mas não só), custa-me ver os meus filhos a deixarem tudo desarrumado. Custa-me particularmente quando conseguem ultrapassar os meus próprios limites de desarrumação (porque eu tenho os meus limites e quando os atinjo, arrumo tudo - não dura é muito tempo!), do género de deixar cair uma caixa com aparas de lápis, por acidente, e não apanhar nem a caixa, nem as aparas, imediatamente a seguir a caírem. E quem diz "imediatamente a seguir", diz nesse dia, ou no dia seguinte ao acidente... até serem obrigad@s a arrumar/limpar aquela porcaria!

Também a forma de falar é imitada, daí que não me admire que por vezes gritem e sejam verbalmente agressivos uns para com os outros, "fervendo em pouca água". Tanto eu como o Rogério temos desses comportamentos.

Esta reflexão não corresponde a nenhum momento "Eureka"! Já sabia disto, ou não fosse eu professora e visse tantas vezes refletidas nas crianças as posturas dos pais. Também nos meus filhos já tinha tomado consciência desta realidade.

Mas ontem foi gritante: o Feitiço deu pontapés nos legos, a descarregar a frustração após ter levado uma palmada no rabo por não arrumar o caos que tinha criado na sala (com os legos, precisamente). E apesar de eu conhecer o Feitiço e saber que ele é especialista em expressar-se de forma, digamos, vistosa, sei que ele se limitou a reproduzir o que já viu fazer a um adulto. Ora, não sei se foi por serem legos e eu tanto prezar brincar com legos, não gostei mesmo nada de ver no Feitiço aquele comportamento "refletido".

sábado, 6 de junho de 2015

Limpar manchas das mãos

A Varinha e a Vassoura estiveram a pintar conchas com canetas de feltro. Resultado: ficaram com as mãos sujas de tinta das canetas, que não saía com uma lavagem normal. Como o Rogério é uma pessoa previdente q.b., tem um sabonete-pedra-pomes (chamemos-lhe assim, que não sei que outro nome utilizar), que fui buscar.

Enquanto esfregava as manchas das mãos da Varinha, ela ria-se, dizendo:

 - O champô-cromos faz-me cócegas!

Não gostei

de saber que o Jorge Jesus vai (já foi, segundo percebi) para o Sporting. Ou melhor, não gostei de saber que tinha saído do Benfica. O facto de ter ido para o Sporting só piora um bocadinho as coisas - preferia que tivesse ido para o estrangeiro.

Pronto, já disse. E não, não interessa a ninguém o que eu penso acerca disto...

quinta-feira, 4 de junho de 2015

Parte de uma oração do Feitiço #11

- Obrigado por o dia de hoje. Ajuda os meus amigos a não me baterem. Ajuda-me a não bater aos meus amigos - com pouca força -, e a ir dizer*.

*Significa ir dizer a um adulto que lhe bateram, em vez de bater - com pouca força, segundo ele - em quem lhe bateu...

Alguém se oferece...

... para fazer o meu trabalho das próximas semanas?

Sou professora e as aulas estão quase a acabar - e toda a gente sabe que os professores têm três meses de férias, por isso, candidatos não devem faltar!...

A asneira do dia #6

Na noite passada, quando estávamos a rezar em família, com eles já de pijama, apercebi-me que não tinha posto a fralda da noite ao Feitiço. Não interrompi a oração para a pôr (e se voltasse atrás voltaria a não interromper). Infelizmente, quando acabámos de rezar também não a pus(emos).

Resultado: aconteceu novamente isto. (Aliás, tenho quase certeza que entre a asneira #2 e a #6, que hoje conto, aconteceu a mesma coisa, só que acabei por não registar.)

terça-feira, 2 de junho de 2015

Parte do corpo - o...

... estôgamo.

(versão de um aluno - 7 anos)

A asneira do dia #5

(de um dia há mais de uma semana)

Sair de casa, trabalhar, almoçar perto da escola (ou não almoçar, já aconteceu algumas vezes), trabalhar, acabar as aulas, demorar-me um bocado na escola (as usual) e vir para casa não muito tarde, com vontade de ir ao WC...

... e chegar ao pé da porta de casa para me aperceber, sem sequer precisar de procurar, que as chaves de casa estão... em casa!

O que me safou: não era dia de ser eu a abrir a porta às crianças, pelo que pude telefonar ao Rogério, dizer-lhe o que tinha acontecido e pedir-lhe para vir o mais depressa possível para casa (não afetei o seu trabalho porque já estava a preparar-se para sair).

O que fiz enquanto esperei que o meu herói chegasse: sentei-me no tapete (pelo menos não era frio como o chão!) e pus-me (deveria ser "pus-me", mas não consigo pôr os dois -) a corrigir trabalhos.

segunda-feira, 1 de junho de 2015

Feliz Dia da Criança

... à criança que há escondida em cada um(a) de vocês!

Feliz Dia da Criança, também,
às que correspondem à classificação, pela idade! 

:-)