sábado, 30 de janeiro de 2016

Diverti-me

... a ler posts antigos neste blogue. Por um lado, gostei do que escrevi e recordei algumas "saídas" (do Feitiço especialmente) que nunca mais recordaria se não as tivesse registado; por outro lado, gostei da interação presente nos comentários. Obrigada por tornarem o blogue mais interessante! Estejam à vontade para comentar - já sabem que gosto e agradeço! :-)

Ambições mais realistas

Refiro-me simplesmente ao número de posts publicados ao longo dos meses. No ano passado tive a pretensão de escrever, em média, dois posts por dia. Consegui cumprir durante alguns meses, mas acabei por perceber que era pedir-me demais.

Este ano vou tentar escrever, em média, um post por dia, o que me parece bastante exequível. Tudo o que for para além disso será considerado bónus (e deixar-me-á contente, pois continuo a gostar da ideia de publicar muito!).

Há cinco minutos

a Varinha perguntou-me:

- Podemos ver televisão?

Eu: Não.
Varinha: Porquê?
Eu: Porque para desenvolverem a vossa criatividade precisam de fazer outras coisas. Ver televisão não.

Surpreendeu-me a rapidez da aceitação. A Varinha dirigiu-se ao canto de oração, escolheu um livro e perguntou ao Feitiço:

Varinha: Queres que te leia "Os três pastorinhos de Fátima"?
Feitiço: Sim.

Sentaram-se os dois no sofá e lá estão, a Varinha muito concentrada a ler e o Feitiço totalmente silencioso a escutar. Dá gosto ver (e ouvir)! :-)

Os caros leitores não podem ouvir, mas podem ver a cena em duas fotografias. 



Note-se o aprumo das crianças e do sofá - foi obviamente uma fotografia altamente estudada para fazer um brilharete na blogosfera! ;-)

quarta-feira, 27 de janeiro de 2016

Piada "realista"

Depois do almoço (chez moi e fantástico graças à companhia da minha querida melhor amiga), cheguei à escola uns minutos antes de tocar para entrar. Ao portão, fui recebida por três alunas, muito bem-dispostas (X, Y e Z).

X: Professora, a Y contou uma piada... quer dizer, disse uma coisa muito engraçada! 

Eu: Ah, sim?

X: Sim. A Z estava a dizer que as pessoas podem ter filhos a partir dos 12 anos... e a Y disse: "Ah! Então o meu irmão [que tem 11 anos e tal] está quase a ter um filho!"

Riam-se as três. 

Eu fiquei a pensar naquilo que a Z disse... Sem entrar em mais conversas, posso dizer que eu nunca poderia ter tido filhos aos doze, nem aos treze, nem aos catorze... (estou a referir-me à questão da maturidade física, apenas, independentemente das opções comportamentais. Fui uma late bloomer. A questão comportamental levou a que só pudesse ter filhos aos 33 anos, mesmo.)

À beira-mar

Não fui à beira-mar, estou apenas a responder à questão que formulei no post anterior:

"... país à beira-mar (com ou sem hífen?) plantado..."

"Beira-mar" escreve-se com hífen. :-)

terça-feira, 26 de janeiro de 2016

Bem ou mal...

... espero que tenham votado.

A abstenção, confesso, faz-me confusão (bem, posso compreender que quem é monárquico não vote numas eleições presidenciais, mas ou há muitos monárquicos neste nosso país à beira-mar - com ou sem hífen?* - plantado, ou há muito "deixa andar"... e inclino-me para a segunda hipótese)!

Eu sei que este post teria feito mais sentido no fim de domingo ou na 2ª feira de manhã, mas cumprir prazos (mesmo que fictícios) não é a minha especialidade...

*(Resposta no post seguinte)

sábado, 23 de janeiro de 2016

Sonhos #56

[Nota prévia: ontem, se estivesse vivo, faria anos o padre M. da paróquia da minha juventude e até casar e mudar para onde vivo agora. Foi com ele que eu e o Rogério tratámos dos papéis para o casamento e só não foi ele que presidiu à cerimónia porque, por questões de saúde e de idade, deixou de ser o pároco alguns meses antes do grande dia.]

No sonho, eu estava na Missa, numa igreja diferente da da minha paróquia, mas que era a da minha paróquia, e o padre M. é que estava a celebrar, com cara bastante jovial apesar do seu cabelo totalmente branco (na vida real, nunca conheci o padre M. sem ser com o cabelo branco). Ele estava a falar de uma forma muito próxima e eu estava a gostar imenso de o ouvir.

A certa altura, começo a pensar: "O padre M. está vivo, mas eu tinha ideia que ele tinha morrido em 2007! Pelos vistos estava enganada... Mas, não, não pode ser! Eu estive na Missa de 7º Dia. Ele morreu mesmo."

Quando chego à conclusão final, o padre M. simplesmente desaparece (e nenhum outro o substitui na celebração!).

A seguir acordei.

sexta-feira, 22 de janeiro de 2016

Gostos

[Se eu já tiver contado isto, avisem-me, por favor. Passou-se antes do Natal e posso ter contado, mas como estive vários dias sem escrever, por essa altura, acho que não contei.]

Estávamos os cinco na caixa do hipermercado. O jovem que nos estava a atender pôs-se a conversar com os miúdos, que lhe iam respondendo bem-dispostos. A certa altura...

Jovem: Então, e de brócolos, gostam?
Varinha: Eu gosto!
Feitiço: Gosto, mas não adoro!

O jovem adorou a resposta do Feitiço e disse que a ia passar a usar em várias situações. :-)

segunda-feira, 18 de janeiro de 2016

Brincar

Dá-me um gosto imenso (e uma pontinha de "também quero ser assim") ler os posts da Teresa sobre a brincadeira que fazem em família. Divertem-se à grande!

Cá em casa também há brincadeira (mau seria se, havendo três crianças, não houvesse!) e, na minha opinião, é tanto mais divertida quanto mais o Rogério e eu nos envolvemos. Eles os três também se divertem entre eles e individualmente, mas o que fazemos todos juntos enche a casa de mais gargalhadas e boa disposição.

Apesar de eu gostar muito de fazer jogos e construções de Legos, muitas vezes me deixo ficar nos meus afazeres e não participo. No entanto, se entro na atividade, o tempo "perdido" não é assim tanto e a memória dos bons momentos perdura por muito mais tempo!

domingo, 17 de janeiro de 2016

Desde 1995

... a derreter corações (dos pais, primeiro, e de tanta gente, eu incluída, depois...).


Parabéns, Margarida!

21 é uma idade gira. :-)

Parabéns

pelo teu aniversário de ontem, Pedro! 

23. Cool!

Bodas de Caná

Cá em casa hoje houve bolo. Calhou bem. Leram isto no blogue "Uma Família Católica"?

Esclareço, no entanto, que o bolo não foi devido ao Evangelho deste Domingo (que relata as bodas de Caná, precisamente)... Teria havido bolo mesmo que o Evangelho fosse outro qualquer, porque fizemos um lanche para festejar com os avós o aniversário do Feitiço (que foi no passado dia 11, 2ª feira).

No entanto, ontem, quando à tarde fizemos a leitura do Evangelho de hoje e o explorámos, pude explicar que o movimento das Famílias de Caná, a que pertencemos, foi inspirado nesta passagem do Evangelho, que devemos convidar Maria e Jesus para nossa casa, que devemos estar atentos às necessidades dos outros, que quando nos falta o vinho, isto é, a alegria, a paz... devemos recorrer ao Sacramento da Reconciliação para que ele volta a jorrar em abundância... Enfim, deu para explicar muita coisa e muita outra ficou por explicar, tal é a riqueza desta Palavra (como, aliás, é rica toda a Palavra de Deus, saibamos nós extrair a riqueza!)...

Joke #1

- My sister married an Irishman.
- Oh, really?
- No, O'Reilly.

(Encontrei esta anedota num bloquinho que me foi oferecido na Escócia e que já não via há tempos...)

sexta-feira, 15 de janeiro de 2016

Prenda num pedaço de papel

Antes do Natal uma criança da minha turma deu-me esta prenda:

O retângulo oculta o nome da criança, obviamente.

Na vossa opinião, quanto vale esta prenda?

quinta-feira, 14 de janeiro de 2016

Gostava...

... que três dos meus irmãos (Magda, Manuel e Matilde) fizessem o mesmo que o Sr. Cavaco (não, não me refiro ao PR que em breve deixará de o ser, refiro-me ao pai da Família Cavaco, do blogue "Família em Movimento").

Acabem com eles antes que eles acabem convosco!

Se quiserem saber como é que ele fez, vão ao blogue e perguntem do modo que ele diz para perguntarem.

Fico contente

... sempre que alguém deixa de fumar. É um facto que, por si só, me entusiasma.

Tal é o desagrado que sinto desde sempre em relação a tudo o que é relacionado com o tabaco (mesmo os cigarros de chocolate, que me lembro de comer, não sabiam tão bem por causa do formato - e daí talvez não, chocolate é chocolate e dentro da boca não tem formato!)

Parabéns pela decisão ao pai da Família em Movimento! :-)

De novo "em casa"...

...  isto é, no meu próprio computador (depois de estar num emprestado, por causa do que se pode ler aqui: ponto 3)! 

P.C.,
SWEET
P.C.!

Obrigada, Rogério!

Eleição do comentário de parabéns mais original

O comentário vencedor foi este:


"Muitos parabéns ao Feitiço, mas também aos pais responsáveis 
pela excelente poção mágica que originou um menino tão especial!"


A grande vencedora (de nenhum prémio, claro!) foi a Carla Pereira. Parabéns! :-)

terça-feira, 12 de janeiro de 2016

Ontem foi um dia cheio de acontecimentos!

1 - O Feitiço fez seis anos, como anunciado aqui. Deve ter havido algum problema técnico na Internet porque poucos dos milhares de seguidores do Alheia conseguiram (todos tentaram, claro) deixar a sua mensagem de parabéns ao Feitiço mais divertido da blogosfera portuguesa (e arredores)!

2 - Para comemorarmos em família, ao jantar, eu fiz um bolo diferente do bolo "filho único" de que já falei várias vezes neste blogue (aqui, por exemplo)! E mais (isto só terá impacto para quem conhecer de perto as minhas limitadas capacidades culinárias): segui a receita que me deram ontem à tarde, sem qualquer registo escrito! Um feito! Estou tão inchada (porque ficou bom, claro!) que um dia destes vou experimentar outra receita de bolo que me pareça apetitosa! :-)

3 - O meu PC faleceu... ou melhor, entrou em coma. Foi-lhe diagnosticado um problema grave no disco rígido. Vai ser submetido a um transplante, nas mãos do médico pro bono Gato Rogério. Sei que está bem entregue. :-)

4 - Voltando a falar de bolos... o primeiro bolo (o que foi levado para a escola do Feitiço), embora tenha sido feito na véspera, só foi - obviamente - comido ontem. E estava bom! Qual a admiração, perguntarão os meus estimados leitores, perfeitamente cientes de que eu sou uma fiel seguidora das instruções que a Nina me deu? Eu explico: eu não pude seguir fielmente as instruções que a Nina me deu porque só tinha cinco ovos e, ao separar as gemas das claras, nos dois primeiros ovos, desperdicei praticamente as claras todas. Ou seja, em vez de utilizar seis gemas e seis claras, como sempre fiz até domingo, utilizei cinco gemas e três claras e meia (mais ou menos). Na altura, eu disse ao Rogério: "Se o bolo ficar bom, passarei a ser muito mais descontraída em relação a fazer bolos!". Acho que o facto de ter ficado bom ajudou a que eu arriscasse uma receita diferente, como referi no ponto dois.


Bolo #2
Decoração: Noddy em Jumpingclay (feito
para o bolo do 3º aniversário do Feitiço

e ainda em perfeitas condições!)

domingo, 10 de janeiro de 2016

Adenda ao post anterior

É que isso significa serem necessários dois bolos (um para levar para a escola e outro para comermos à noite)... 

Claro que os bolos podem ser comprados, mas a minha consciência materna diz-me para ser eu a fazê-los...

Meia dúzia

Amanhã o Feitiço fará seis anos. Seis anos! Coméquépossível?

Parabéns, "Sebastião"!

Na verdade, o aniversariante de hoje (9 anos) não se chama Sebastião. Antes de ele nascer o avô materno é que, a brincar, dizia que era o Sebastião, porque era "o Desejado"! :-)


Parabéns, Simão!

sábado, 9 de janeiro de 2016

Parabéns, parabéns, parabéns!

Provavelmente este post não será muito diferente do de há um ano (publico este primeiro, releio o antigo depois)...

Hoje a minha melhor amiga, que o é desde os meus oito anos, e de quem sou dupla comadre (sou madrinha do seu primogénito e ela é madrinha da Varinha) faz anos. 

Sinto-me tão grata por Deus a ter colocado no meu caminho e por sermos amigas! A ela posso contar tudo e penso que o mesmo se passa no sentido inverso. Em momentos complicados, por uma ou por outra razão, quem (falando em seres humanos) esteve presente? Ela. 

"Quem encontra um amigo, encontra um tesouro." Eu, neste departamento, sou multimilionária! (Algo semelhante a isto tenho certeza que já escrevi num post anterior, não sei se no de há um ano, ou se noutro.)

Bem, mas ainda falta uma parte importante deste post:


Muitos parabéns, querida amiga, da minha parte 
e da parte do Rogério, da Varinha, da Vassoura e do Feitiço!

quinta-feira, 7 de janeiro de 2016

Gostei, mas...

A minha primeira reação a este vídeo (que encontrei graças ao blogue da Olívia) foi positiva e continuo a gostar dele, até porque contém informação que eu desconhecia.

No entanto, e percebendo perfeitamente a mensagem que ele pretende passar, não posso deixar de pensar que, como muitas coisas que podemos dizer ou fazer quando queremos defender um ponto de vista, foram escolhidos exemplos favoráveis porque são esses que interessam.

Querem que vos prove que não é o número de filhos que interessa? Adolf Hitler foi o 4º de 6 irmãos. Não é preciso dizer mais nada.



P.S. - Eu sou a 6ª de 7 irmãos. Ainda bem que os meus pais não tiveram só um ou dois filhos. Que seria da nossa história blogosfera? ;-)

quarta-feira, 6 de janeiro de 2016

Estou feliz e grata

porque a reunião com os pais dos alunos, que hoje tive, decorreu bem (diria até que muito bem!). 

Demorar mais ou menos tempo não se traduz necessariamente por correr mal ou bem, mas soube-me que nem ginjas o facto de ter sido a reunião de pais mais curta da minha experiência de 18 anos como professora! Em menos de meia hora estava "despachada".

Depois, quando dei por encerrada a reunião, houve pais e mães que ficaram para trás para dar uma palavrinha em particular, mas tudo num ambiente tranquilo.

Obrigada, Jesus!

Roupas e risos

A propósito de uma camisola minha, que é muito fofinha ao tato, tive uma conversa interessante com a Varinha e o Feitiço. Aqui está parte dela, como a consigo recordar:

Feitiço: É [o pelo da camisola] pelo de urso?
Eu: Não.
Feitiço: Mas há roupas com pelo de urso?
Varinha: Coitados dos ursos!
Feitiço: Faz mal matar os ursos para fazer roupa?
Eu: Eu acho mal matar animais só para fazer roupa.
Varinha: Eu também, coitados!
Feitiço: E há roupas com pelo de cavalo?
Varinha: Não, Feitiço, os cavalos não têm assim tanto pelo...
Feitiço: Pois, os cavalos só dão para fazer camisolas de manga curta, não é?

[risos meus e da Varinha]

Feitiço: Não gosto que se reiam!

segunda-feira, 4 de janeiro de 2016

Fiz umas contas (de cabeça e até me posso ter enganado, basta saberem que a esta hora tenho sempre sono)

... e descobri que, sem contar com este (extremamente útil), já publiquei 1290 posts.

Ah, o que seria da blogosfera sem a minha contribuição? (suspiro)

Lembrei-me de vos dizer, fiéis leitores, sobretudo os mais antigos,...

... que as "coisas malvadas começadas por S" estão em dia.

Se não sabem o que são as "coisas malvadas começadas por S" porque, ou não têm memória para informações que não vos servem para nada, ou são leitores recentes, ou... 

Qualquer que seja a razão para não saberem o que são as "coisas malvadas começadas por S", experimentem pesquisar ali na barra do lado direito e depois digam se conseguiram descobrir! 

(Se não conseguirem, e quiserem MESMO saber, esforcem-se mais! Contem comigo para vos ajudar apenas se estiverem à beira de um ataque de nervos, já quase não conseguirem dormir por causa disso, etc..)

Uma pessoa sabe que é uma blogger de sucesso quando...

... não põe os pés no blogue durante onze dias seguidos e, ao regressar, encontra dezenas, quiçá centenas, de comentários  para ler. O número de visitas, então, uuui!, aumentou em largas dezenas de milhar!


(not really... mas isso já vocês sabiam, não é?!?)

domingo, 3 de janeiro de 2016

Olhem...

...
...
...
...
B O M     A N O ! ! ! !

...
...
...
...
 (é só originalidade, por aqui)