sexta-feira, 16 de maio de 2014

De passagem

Ao ir para casa, passei por uma senhora sentada a falar ao telemóvel. Não parei nem abrandei, mas a senhora falava tão alto que comecei a ouvi-la antes de estar mesmo a passar por ela, tendo por isso ouvido esta parte da conversa:

"Sabes o que é que ela me fez? Chamou-me bruxa, velha do c- [rima com baralho]! Odeio-te! Espero que morras!"

Ufa! A coisa não era para brincadeiras. Pus-me a imaginar se teria sido a filha da senhora a dizer tal coisa, ou uma vizinha, ou..., mas o meu palpite é que tenha sido a filha. Esclareço que não faço a mínima ideia de quem é a senhora, se tem filhos sequer, ou não, mas, pronto, sem qualquer fundamento imagino que tenha sido a filha!

5 comentários:

  1. O meu palpite é que era a nora...
    Não é por experiência própria porque a minha sogra é um doce... mas é um clássico!

    ResponderEliminar
  2. Deixa-me só dizer, que mesmo que não fosse (um doce) eu não lhe chamava aquilo tudo! ;-)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É uma hipótese tão fundamentada como a minha, mas acho que sogras e noras normalmente não se tratam por "tu"...

      Eliminar
  3. Imagino a cena! Vemos e apreciamos cada uma!

    ResponderEliminar

- Posso fazer o meu comentário?
- Claro que sim, mas tendo cuidado com a linguagem.
Obrigada!