segunda-feira, 9 de janeiro de 2017

Os nomes e o hábito

Ontem, a propósito da sondagem, o Rogério disse-me:

- Estes nomes para a bebé... são esquisitos! Dizer: "Não sei quê a Magia" não faz sentido!

Eu: Ah, sim, porque dizer "A Vassoura fez isto ou aquilo" faz muito sentido!... Tu é que já estás habituado aos nomes deles no blogue!

Rogério: Mas os nomes deles ao menos são objetos. Bem, Feitiço não é...

Eu: O nome completo dele é "Livro dos Feitiços", na verdade, e é um objeto, mas "Livro" não era tão boa opção como "Feitiço", por isso ficou Feitiço...


******************

Acho que, no que diz respeito a nomes, nós habituamo-nos a tudo! Já tive a minha porção de alunos com nomes estranhos (não me refiro a nomes estrangeiros); ao início, estranha-se, realmente, mas depois os dias passam e dizemos e escrevemos os nomes tantas vezes que eles se "entranham". E quem diz alunos, diz vizinhos ou colegas!

O nome verdadeiro do Feitiço, por exemplo, foi do desagrado de toda a família, menos, talvez, de duas pessoas. Agora (já há muito tempo!), ninguém consegue imaginar que ele tenha outro nome, claro! Desconfio que o mesmo se vai passar com o nome verdadeiro da bebé, se acabar por ficar com o nome que o Rogério decididamente prefere (e que eu não desgosto, aliás, tal como no caso do nome real do Feitiço, foi sugestão minha)...

Sem comentários:

Enviar um comentário

- Posso fazer o meu comentário?
- Claro que sim, mas tendo cuidado com a linguagem.
Obrigada!