segunda-feira, 21 de novembro de 2016

Começo a ficar desesperada

... enquanto mãe de um aluno do 1.º ano que tem comportamentos totalmente desajustados na sala de aula e também no recreio. 

Há uma fase no desenvolvimento em que as crianças (muitas, mas não todas, felizmente) se põem a morder as outras pessoas. É muito chato ser pai ou mãe das vítimas, mas acho que ser pai ou mãe dos atacantes ainda é pior. Isso acontece por volta dos quê, dois, três anos, não é?

Pois o Feitiço há umas semanas mordeu um menino na catequese e hoje, fiquei há pouco a saber, mordeu um colega no recreio. E ele já passou os três anos há bastante tempo... está quase a fazer sete!

Quando falamos com o Feitiço, ele acha sempre que o "outro" fez alguma coisa que justifica o seu comportamento.

Portanto, depois de vinte anos a ver comportamentos destes em filhos dos outros, estou agora a vê-los no meu filho e custa... muito.

2 comentários:

  1. Compreendo-te perfeitamente... o D* passou por essa fase com dois anos mas passou-lhe que foi um instante quando uma menina não se ficou e mordeu-o de volta! Abençoada...
    Vais ver que com o Feitiço a coisa também se resolve sozinha... até porque ele já tem idade suficiente para perceber. Não stresses, são fases.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada pelo apoio, Escondida. O problema é que o Feitiço não se "limita" a morder, faz outras coisas que já tem idade para perceber que não se fazem. É impulsivo nas reações, não para um momento para pensar antes de agir ou falar (para dizer o que não deve).

      Eliminar

- Posso fazer o meu comentário?
- Claro que sim, mas tendo cuidado com a linguagem.
Obrigada!