terça-feira, 13 de outubro de 2015

Sonhos #55 (categoria pesadelo)

Ao ser chamada para ver um [nos sonhos pode haver elementos esquisitos ou imaginários, já se sabe, e é um desses que vem a seguir] "tellorium binório" que passava a voar, a Vassoura vai a correr. Ao chegar à varanda, vai com tanto balanço que passa por cima da coisa cujo nome não me lembro, e cai numa espécie de toldo. "Ufa!", penso eu. Põe-se em pé para subir novamente para a varanda, mas desequilibra-se e cai do toldo para o chão. De onde estou não tenho visibilidade. Grito para o Rogério: "A Vassoura caiu da varanda!" e corro pelo outro lado, para onde há escadas, mas, ao chegar lá, vejo toldos. Qual personagem de ação, salto para o primeiro toldo, depois salto para outro mais baixo e desse salto para o chão. A Vassoura parece estar enterrada, pois só se veem os pés e as pernas até aos joelhos. Começo a tirar a terra à volta, que afinal não é assim tanta, e rapidamente surge a cara da Vassoura, que abre um olho. Sinto alívio por ela abrir um olho, alívio que dura um milésimo de segundo, pois ela tenta levantar-se. Ponho uma mão para impedir o movimento e digo-lhe para ficar quieta e imediatamente a seguir, acordo. 

Sensação de alívio por ter sido só um sonho, sensação angustiante por a imagem da Vassoura caída não me sair da cabeça (ou melhor, sair até sai, mas persiste em voltar).

4 comentários:

- Posso fazer o meu comentário?
- Claro que sim, mas tendo cuidado com a linguagem.
Obrigada!