domingo, 8 de fevereiro de 2015

Às escondidas ou a teoria da avestruz

Hoje o Feitiço desafiou-me para jogar às escondidas. Eu disse-lhe para ele se ir esconder bem, que eu depois iria procurá-lo (era minha intenção demorar a ir à procura, confesso). Antes de sair da sala, ele avisou-me:

- Eu vou tapar-me com a manta e tu não vais conseguir ver-me! [disse isto com um ar vitorioso tão ingénuo que só visto!]

Eu: Ó Feitiço, se me avisas eu consigo encontrar-te logo!
Feitiço: Não consegues, não.

Distraí-me. Passados alguns minutos, oiço uns gritos:

Feitiço: Então, mamã? Não vieste à procura!

Ups! Levantei-me e lá fui eu, falando em voz alta:

- Onde será que está o Feitiço? Não o vejo...

Quando entrei no quarto dele, deparei com esta imagem,


comentei que o Feitiço "ali não estava" e fui buscar a máquina fotográfica. Quando ouviu o disparo da máquina, o Feitiço "apareceu", muito contente:

- Não me conseguias ve-er!

O Feitiço é como uma avestruz...

2 comentários:

- Posso fazer o meu comentário?
- Claro que sim, mas tendo cuidado com a linguagem.
Obrigada!