quarta-feira, 19 de novembro de 2014

Uma boa notícia

No primeiro post que escrevi em setembro, a prestar contas sobre a minha ausência blogosférica (is there such a word?), uma das razões foi "andámos a limpar uma casa para pôr à venda. Espero ter boas notícias para breve!"

Em pouco tempo surgiram interessados em alugar, depois alguns interessados em comprar, mas que faziam ofertas muito baixas (o valor que pedíamos já era muito abaixo do que foi pago em 2002) e depois surgiu um casal muito simpático que soube dar valor aos pontos fortes da casa! Sabem aquela postura de só apontar os defeitos para ver se o valor desce? Não foram assim. Nós de facto baixámos o valor, mas antes de eles porem qualquer defeito, pois foi através da mediadora imobilária (aliás, já estávamos mentalizados que iríamos ter de baixar, atendendo às circunstâncias sócio-económicas atuais).

Como dizia, o tal casal não foi assim: o que estava mal, estava mal, mas, nas palavras deles, "pior não há de ficar, é normal que uma casa se vá degradando com o tempo" e o que estava bem, ou os pontos fortes da casa (localização, quintal com anexo) foram honestamente verbalizados. Eu e o Rogério gostámos mesmo deles (acho que eles também simpatizaram connosco) e ficámos animados com a perspetiva de serem eles a comprar a casa (e animados também por não ficarmos com a casa por vender durante muito tempo, claro!).

 Há dois meses fizemos o contrato de promessa de compra e venda.

Hoje foi a escritura!

Próximo passo (com calma): tentar encontrar uma casa maior para nós...

4 comentários:

  1. Não me digas que a família vai aumentar!!!!!!
    :) :) :) :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pelo menos para já, não, mas ao separarmos o quarto das crianças ficámos atrapalhados, sem escritório (eu, especialmente, que ocupo muito espaço com as minhas coisas de trabalho (e tralhas...)).

      Se a família estivesse em vias de aumentar, acho que a procura teria de ser mais ativa e menos "calma"...

      Eliminar
  2. É muito bom quando simpatizamos com quem vai ficar com as coisas que já foram nossas... eu também valorizo isso.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É mesmo de dar valor, quanto a mim, pois ficamos mais "descansados"...

      Eliminar

- Posso fazer o meu comentário?
- Claro que sim, mas tendo cuidado com a linguagem.
Obrigada!